É um eufemismo dizer que o mundo do bem-estar tem crescido exponencialmente nos últimos anos. “A medida que mais e mais de nós nos preocupamos com nossa saúde física, mental e emocional, um enorme influxo de novas práticas de bem-estar ou de práticas de bem-estar emprestadas de todos os cantos do mundo começam a ter adeptos. Algumas pessoas escolheram viver adotando as práticas de mindfulness, outras se dedicaram à meditação; algumas praticam algum tipo de técnica de respiração enquanto outras adicionaram rituais ayurvedicos ou aromaterápicos em suas rotinas diárias.

Uma prática que tem sido adotada por muitas pessoas (particularmente os habitantes da cidade que passam a melhor parte de sua semana presos a uma mesa) é o ritual japonês de Shinrin-yoku, também conhecido como banho de floresta. Você também tem sentido a inegável atração da natureza recentemente?

O que é Shinrin-yoku

“Shinrin-yoku foi desenvolvido no Japão durante os anos 80, em resposta a uma crise de saúde causada pela urbanização em massa, e uma cultura de extremo estresse”, explica Marina Neumann, sócia-diretora da XPONENT e Guia de Terapia Florestal da ANFT em treinamento.

Para simplificar, shinrin-yoku é mergulhar na natureza: ‘shinrin’ significa floresta e ‘yoku’ significa banho. “É um termo bastante amplo para um conjunto de atividades que ocorrem em trilhas certificadas de terapia florestal, das quais existem aproximadamente 60 no Japão, localizadas perto de centros urbanos densamente povoados”, explica Marina. “Durante uma experiência shinrin-yoku, um guia conduz um grupo para a floresta e apresenta atividades que empregam os cinco sentidos primários para se conectar com a terra e reduzir o estresse”.

Embora possa envolver movimento, o shinrin-yoku não é especificamente uma forma de exercício; trata-se de passar tempo no ambiente reconfortante da natureza e conectar-se com suas muitas facetas através da visão, olfato, som, tato e às vezes até mesmo do paladar.

“O banho de floresta é a prática de estar na natureza de forma consciente, usando seus sentidos para obter uma gama completa de benefícios para sua saúde física, mental, emocional e social”, continua Marina. “Isto não é uma caminhada regular nem uma investigação sobre a natureza ao nosso redor, trata-se de sua própria experiência, corpo-mente-coração, abrindo todos os nossos sentidos”.

 

Quais os benefícios do Banho de Floresta?

Quer você já tenha dado um passeio pelo campo ou admirou uma paisagem com o horizonte, todos nós sentimos o poder da natureza de relaxar os ombros e de suavizar a nossa expressão. O Banho de Floresta, também conhecido como Terapia de Bosque,  é aproveitar os benefícios de aliviar o stress do mundo natural de uma forma duradoura e significativa.

Há muitas pesquisas que mostram como estar na natureza, particularmente quando a experimentamos de forma consciente, pode ter um impacto positivo em nosso bem-estar (Marina recomenda este pequeno documentário que dá vida ao seu efeito). Abaixo estão os principais benefícios de passar o tempo na natureza.

 

Alívio cognitivo

Se você passa muito tempo em cidades movimentadas e ambientes fechados, sua mente e seu corpo enfrentam uma avalanche de estímulos que aumentam sua carga cognitiva. Embora a natureza também tenha seus estímulos, ela aciona nossos sentidos de uma maneira diferente e mais reconfortante.

 

Melhora da imunidade

“Certas árvores como coníferas emitem óleos e compostos para se protegerem de micróbios e patógenos, explica Marina. “Estas moléculas, conhecidas como fitoncidios, também são boas para nossa imunidade”. Respirar o ar da floresta estimula as células usadas para combater as infecções”.

 

Redução do estresse

Segundo a ANFT, o tempo passado na natureza pode reduzir a produção do hormônio do estresse, o cortisol. Em um estudo, aqueles que observaram a paisagem florestal durante 20 minutos tinham 13,4% menos cortisol salivar do que aqueles em ambientes urbanos, enquanto os passeios na floresta mostram uma diminuição de 12,4% na produção de cortisol.

 

Ajudar a tratar a depressão

“O que os pesquisadores descobriram é que estar na floresta repetidamente, ou mesmo de forma intensa, está associado à dissolução na tensão, à diminuição do estresse e da ansiedade e, com o tempo, à diminuição da depressão”, explica Marina.

 

Ele pode impulsionar a criatividade

A pesquisa também descobriu que o tempo na natureza pode melhorar o desempenho mental e a criatividade. Um estudo descobriu que os participantes desempenharam 50% melhor nas tarefas de resolução criativa de problemas após três dias de trilhas na natureza.

 

Adaptação do Shinrin-yoku para o Ocidente

A ANFT, Associação de Terapia de Natureza e Floresta, trouxe os elementos do Shinrin-yoku e incorporou novos itens, para que tivesse o foco relacional entre o homem e todos os elementos além do homem (terra, árvores, animais, pedras, nuvens, ancestrais etc.). Cultivar esta reciprocidade pode ajudar também as questões de preservação e ambientais.

Não há uma maneira certa ou correta de fazer a prática. “Não há um objetivo específico a atingir, cada pessoa tem a sua própria experiência e receberá da natureza o que precisa naquele momento”, explica Marina.

Entretanto, há algumas recomendações gerais a ter em mente, conforme organizado por Amos Clifford, guia de Natureza e fundador da ANFT.

  • A intenção da terapia florestal é se conectar com a natureza de forma curativa, o que requer que você se mova pelo ambiente com presença e utilizando todos os seus sentidos.
  • Ao contrário de uma sessão de ginástica que você sabe que terminará em cerca de uma hora, o Banho de Floresta não deve ser apressado, nem deve ser pensado como exercício físico. “Trata-se mais de estar aqui, do que de chegar lá”.
  • Shinrin-yoku não deve ser uma experiência única. Trata-se de desenvolver uma relação significativa com a natureza a longo prazo.
  • Também não se trata simplesmente de fazer caminhadas em terras florestais, mas sim de rotinas centrais que ajudarão a fortalecer nossa relação com a natureza. “Entre estas práticas estão o Lugar para Sentar, explorações sensoriais, perceber a sabedoria da natureza e o envolvimento da imaginação ativa através de brincadeiras, expressão criativa e diálogos imaginários com outros seres que não os humanos, tais como animais, árvores, pedras e rios”.

 

Como praticar o Banho de Floresta

Quer experimentar? A seguir os passos básicos geralmente seguidos nas experiências de Terapia de Bosque (outro nome dado ao Banho de Floresta).

  1. Tenha clara a sua intenção de praticar o banho de floresta.
  2. Comece com um ritual para indicar o início da prática.
  3. Estimule sua consciência, permanecendo em uma área por pelo menos 15 minutos. Nesta fase, você deve usar seus cinco sentidos para explorar o momento presente.
  4. Caminhe lentamente durante 20 minutos, notando os movimentos ao seu redor.
  5. Selecione pelo menos um até três sinais oferecidos pelo Bosque que sejam ideais para o humor, as pessoas ao seu redor, o clima e a própria floresta. Este passo pode demorar até duas horas.
  6. Sente-se em um lugar por pelo menos 20 minutos.
  7. Beber chá e comer um lanche leve com o grupo. Iniciar uma conversa para compartilhar a experiência.
  8. Marque o fim de sua prática.

 

Você pode praticar terapia florestal em qualquer espaço natural seguro, até mesmo em jardins ou parques urbanos. Estar acompanhado por um Guia Certificado vai te ajudar a explorar todos os benefícios da terapia de bosque. Este apoio não só o ajuda a diminuir o ritmo, mas também a aprofundar a disciplina e a experiência. “Dizemos que a floresta é seu terapeuta, o guia só abre as portas para você”, observa Marina. “O papel do guia é criar um ambiente seguro e um recipiente de grupo, para que todos possam se concentrar em sua própria experiência e aprender com os outros”. Durante a prática, o guia oferecerá muitos tipos de convites sobre como explorar cinco sentidos e o meio ambiente”.

Deixar um comentário